Juiz mantém prisão do homem que provocou o acidente que matou a professora Gislâne em Natal
Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi

Após audiência de custódia ocorrida na tarde da segunda-feira (20), o juiz Raniel Batista Pereira Filho determinou prisão preventiva, o homem que causou a o acidente que vitimou Gislâne Cruz, afirmou que esta não era a primeira vez em que se envolveu em acidentes do tipo, além de confirma que é dependente químico.

O oficial de justiça Josias Teixeira de Morais, de 62 anos, foi preso em flagrante no domingo (19). Em entrevista cedida a Inter TV Cabugi, o mesmo, saindo da delegacia para a audiência de custódia confessou estar arrependido. 

“Não me lembro o que aconteceu, nem onde foi. Eu tomei um remédio controlado e tomei umas duas cervejas”, afirmou Josias de Morais. O teste de alcoolemia feito pela Polícia Militar no local do acidente indicou que o oficial de Justiça estava embriagado.

Gislâne Cruz do Nascimento tinha 26 anos e morreu no acidente, antes de qualquer socorro. Ela foi sepultada nesta segunda (20) no Cemitério Parque Vila Flor, região metropolitana de Natal.

Foto: Rede Sociais 

Segundo o Comando de Policiamento Rodoviário Estadual (CPRE), a professora seguia em um carro com uma motorista que trabalha com aplicativo de transporte de passageiros. O veículo em que ela estava, seguia no sentido Candelária no prolongamento da Avenida Prudente de Morais, Zona Sul de Natal, quando o outro veículo guiado por Josias, vindo pela contra colidiu com a traseira do carro em que elas iam, o veículo atingido capotou duas vezes. 

Fonte: G1 RN

Compartilhar nas redes sociais

Deixe uma resposta