Ciro diz que ‘Brasil não aguenta mais um presidente fraco, que tenha que consultar seu mentor’

Candidato do PDT à Presidência foi entrevistado pelo G1 e CBN. Ele também falou sobre a proposta de mudar a política de preços da Petrobras.

O candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, disse em entrevista ao G1 e à CBN, nesta quarta-feira (19), que “o Brasil não suporta mais um presidente fraco, um presidente sem autoridade, um presidente que tenha que consultar o seu mentor”, em referência ao PT.

O pedetista ficou estável na última pesquisa Ibope, com 11%, e viu Fernando Haddad (PT) ultrapassá-lo e se isolar na segunda colocação com 19%, atrás de Jair Bolsonaro (PSL), com 28% (veja os números completos da última pesquisa Ibope).

Ciro falou sobre o convite para ser vice na chapa que era encabeçada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O PT chegou a registrar a candidatura de Lula, mas ela foi barrada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com base na Lei da Ficha Limpa. O partido, então,trocou o nome de Lula pelo de Fernando Haddad, que havia sido registrado como vice, em 11 de setembro.

O Lula, via Dilma Rousseff, via Roberto Requião, via Gleisi Hoffmann, me cercou por todos os lados para eu aceitar ser o vice dele de araque. Porque, todo mundo sabia, como eu cansei dizer, que era uma enganação do PT, que não iam deixar o Lula ser candidato. E, se eu aceitasse isso, eu seria o sucessor dele. Por que eu não aceito isso? Porque o poder, para mim, é só uma ferramenta de fazer as coisas acontecerem. O Brasil não suporta mais um presidente fraco, um presidente sem autoridade, um presidente que tenha que consultar o seu mentor”, afirmou.

Ciro falou sobre a eleição de Dilma Rousseff, “em cima da popularidade do Lula”. Para ele, apesar da boa intenção, ela não tinha experiência nem maturidade política. Ele também disse que Haddad “aceitou desempenhar um papel que o diminui profundamente”.

Ciro Gomes foi o décimo presidenciável a participar da série de entrevistas doG1 e da CBN com os candidatos à Presidência. Os presidenciáveis são entrevistados pelos jornalistas Cláudia Croitor e Renato Franzini, do G1, Milton Jung e Débora Freitas, da CBN, e pelo comentarista Gerson Camarotti, do G1 e da CBN.

Ex-governador do Ceará e ex-prefeito de Fortaleza, Ciro Gomes já foi deputado federal e está no sétimo partido desde que entrou para a política. Atual vice-presidente do PDT, foi ministro da Fazenda entre setembro de 1994 e janeiro de 1995, período final do governo Itamar Franco e início do governo Fernando Henrique Cardoso.

Advogado, Ciro também foi ministro da Integração Nacional, entre janeiro de 2003 e março de 2006, no primeiro mandato de Luiz Inácio Lula da Silva.

A eleição presidencial de 2018 será a terceira tentativa de Ciro Gomes de chegar ao Palácio do Planalto. Ele concorreu nas eleições de 1998 e de 2002 pelo PPS, mas em nenhuma das duas disputas chegou ao segundo turno.

Compartilhar nas redes sociais

Deixe uma resposta